quarta-feira, 27 de julho de 2016

Perdido

Perdem-se as chaves
A bolsa
A carteira

Perdem-se os chinelos
As canetas
A toalha pendurada na esteira

Perde-se a infância
A inocência
O acreditar em um sonho encantado

Perdem-se as vontades
Perdem-se os sorrisos
Em meio a tantas lagrimas derramadas

Perde-se de si mesmo
Perde-se da multidão
Perde-se em sentimentos

Perde-se a companhia
Perde-se o afeto
Mas nunca se perde o amor.

Na verdade, se perde no meio de tanto amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário